Acesso a alimentos saudáveis para todos

Nessa aula, você vai ver que:

  • - Comer é um direito humano
  • - O corpo humano precisa de alimentos para funcionar bem
  • - Há três grupos básicos de alimentos
  • - Você pode promover a Segurança Alimentar e Nutricional



ASSISTA: Comer é um direito humano




PENSE: O que é uma alimentação saudável?

De acordo com a Declaração Universal dos Direitos Humanos, toda pessoa tem o direito à não-discriminação e à dignidade de:

  • - alimentar-se bem
  • - ter um lugar para morar
  • - ter saúde
  • - ter educação
  • - ter um trabalho digno


Leia, em especial, o Artigo 25:

1. Todo ser humano tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde e bem estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência fora de seu controle.

2. A maternidade e a infância têm direito a cuidados e assistência especiais. Todas as crianças, nascidas dentro ou fora do matrimônio, gozarão da mesma proteção social.

Visite também o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional que visa assegurar o direito à alimentação adequada.

Se toda a pessoa tem o direito a uma alimentação saudável, pense um pouco:
O QUE É UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL?



  • É comida saborosa?
  • É comida nutritiva?
  • É quantidade suficiente de comida?
  • É comer regularmente?
  • É comida livre de contaminações?
  • É tudo isso junto?


Alimentação saudável
=
alimento em quantidade suficiente, com qualidade e regularidade asseguradas




VOCÊ E SUA FAMÍLIA TÊM UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL?




SAIBA: Alimento seguro e nutritivo é um direito humano de todas as pessoas

- Um alimento seguro é um alimento de qualidade, bem conservado, livre de contaminação por bactérias, fungos, produtos químicos ou pelo contato com animais (ratos, baratas, moscas, formigas etc.)

- Um alimento nutritivo é aquele que fornece todos os nutrientes de que nosso corpo necessita

- Além de qualidade, todos nós temos o direito a uma alimentação em quantidade suficiente e com regularidade assegurada

Ao se alimentar, a pessoa se nutre, fortalece o corpo e contribui para o desenvolvimento de um ser humano mais feliz.

Um ser humano saudável é muito mais do que uma pessoa sem doença. É uma pessoa que vive em estado de bem-estar físico, mental e social. Em outras palavras, é uma pessoa que ri, anda, corre, trabalha, se diverte e participa da vida da família e da comunidade.



COMPARTILHE

Muita gente defende que comer é um ato de celebração à vida: é um momento de prazer; de convivência com os outros; de descoberta de novos sabores; de relaxamento... Que sensações você tem ao se alimentar? Compartilhe com o #PremioJovemCientista



SAIBA: O corpo precisa de alimentos

O nosso corpo necessita de alimentos para funcionar bem. Eles fornecem energia para o organismo, contribuem para o coração bater sem parar, o sangue circular por todo o corpo, para a força dos músculos, dos membros e até para o raciocínio.

A alimentação começa ainda no útero. Pelo cordão umbilical passam todos os nutrientes que o bebê necessita para se desenvolver. Depois do nascimento, a alimentação saudável começa com o aleitamento materno.



O leite materno é o alimento mais importante até os 2 anos de vida da criança. Ao amamentar a mãe passa ao bebê os anticorpos que protegem a criança de infecções, diarreia e outras doenças. Todas as mães têm leite adequado para seus bebês. Não existe “leite fraco”. A amamentação aumenta os laços afetivos entre mãe e filho e favorece o desenvolvimento emocional, cognitivo e do sistema nervoso da criança. Devido a sua composição complexa, o leite humano é um alimento inimitável e o único que pode ser oferecido direto da mãe para o bebê.

Para mais informações sobre o leite materno, visite a Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano.




OUÇA: Programa de rádio sobre aleitamento materno






SAIBA: Os três grupos de alimentos

Podemos comparar a boa dieta humana a um banco de três pernas. Cada perna se refere a um grupo de alimentos. Na falta de uma perna, o banco cai; se faltar alimento de um grupo, o corpo fica fraco.

O nosso corpo precisa de três grupos de alimentos para se manter com saúde: construtores (as proteínas), protetores (as vitaminas e sais minerais) e energéticos (os carboidratos).



ASSISTA: Uma alimentação adequada ao organismo humano




INFOGRÁFICO: Grupos de alimentos



SAIBA: O que é Segurança Alimentar e Nutricional?

Agora que você já sabe que comer é um direito de toda pessoa; como os alimentos nutrem o nosso corpo e as nossas opções nutricionais, fica mais fácil entender o conceito de Segurança Alimentar e Nutricional (SAN):



“A SAN consiste na realização do direito de todos ao acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente, sem comprometer o acesso a outras necessidades essenciais, tendo como base práticas alimentares promotoras de saúde, que respeitem a diversidade cultural e que sejam social, econômica e ambientalmente sustentáveis.”

Lei 11.346, 15 de setembro de 2006



Cabe ao Estado a responsabilidade de assegurar a toda a população o direito à alimentação saudável. E isso deve ser feito com a participação da sociedade civil organizada, das empresas e órgãos governamentais municipais, estaduais e federais.



Uma política de SAN deve levar em conta:

  • - a produção e o acesso aos alimentos em quantidade suficiente para atender à população
  • - a oferta estável e permanente de alimentos
  • - o controle da qualidade dos alimentos
  • - a autonomia na produção dos alimentos básicos
  • - a educação alimentar, a educação para o consumo saudável e sustentável
  • - o acesso e a qualidade da água para consumo e produção de alimentos



Pensando em você, Estudante do Ensino Médio, que está empenhado a melhorar a alimentação dos brasileiros, elencamos alguns desafios para inspirar o início de sua pesquisa.

Desafio 1

O Brasil apresenta uma contradição na segurança alimentar: é um dos maiores produtores de alimentos do mundo, mas ainda tem milhões de cidadãos à margem da cidadania, por não terem assegurado, entre outros, o direito básico à alimentação suficiente, completa, adequada e saudável.

Como andam os indicadores de acesso a alimentos em sua comunidade ou município?

De onde vêm os alimentos? Existe alguma produção local? São alimentos frescos? Bem conservados? Caros ou baratos?

Existem alternativas de acesso a alimentos mais saudáveis?

A comunidade valoriza essas alternativas? Ou são alternativas inadequadas para a realidade local?

Quais as implicações da situação encontrada para a saúde das pessoas?

Se você identificou necessidades de melhoria no acesso a alimentos saudáveis em sua região, que soluções poderiam ser testadas?



Desafio 2

As taxas de aleitamento materno vêm aumentando no Brasil, porém ainda são baixas, aquém do recomendado. Sabendo que o leite materno é o alimento mais importante até os dois anos de vida, investigue se as mães de sua comunidade, bairro ou cidade alimentam seus filhos de maneira natural. Identifique os fatores que dificultam a amamentação. As práticas de desmame mais usuais. E teste as possíveis soluções para ampliar o aleitamento materno em sua comunidade ou área de estudos.



Desafio 3

Os hábitos alimentares tradicionais mudaram muito por influência da industrialização, dos meios de comunicação ou mesmo da globalização dos mercados. Alimentos frescos foram substituídos por industrializados, devido à praticidade de preparo; sucos naturais perderam terreno para bebidas artificiais por conta de propagandas atraentes; comidas apropriadas para climas frios são consumidas em pleno verão tropical por modismo, e até o sucesso internacional de alimentos nacionais – como o açaí da Amazônia – pode ter impacto na alimentação das comunidades de sua região de origem, devido à exportação em massa da produção.

Sua comunidade ou município passou por grandes mudanças nos hábitos alimentares, nas últimas décadas? As mudanças foram positivas ou negativas para a saúde e o bem-estar da população? Como identificar e reabilitar os bons hábitos? Como incentivar o consumo de alimentos adequados ao clima, apesar dos apelos de mídia? Um invento para facilitar o preparo de alimentos locais frescos pode trazê-los de volta à mesa?

Se você aceitou algum desses desafios ou preferiu desenvolver outros, inscreva os resultados no XXVIII Prêmio Jovem Cientista e tenha sua pesquisa avaliada por especialistas de renome na área de Segurança Alimentar e Nutricional.
www.jovemcientista.cnpq.br